Tatiana denuncia “fura fila” em Campina e vai ao MP

A médica Tatiana Medeiros (MDB) anunciou pelo Twitter, que formalizará uma denúncia ao Ministério Público da Paraíba, “com provas colhidas e produzidas” por pessoas vacinadas em Campina Grande, supostamente furando a fila de prioridade de vacinação contra a Covid-19. Ela cobra transparência da Prefeitura Municipal. As postagens foram feitas no final da noite desta terça-feira (18).

A denúncia terá como alvos o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) e o secretário de Saúde Felipe Reul. “Ser amigo do Rei, garantiu essa prioridade”, disse Tatiana, que foi candidata a vice-prefeita na chapa encabeçada pelo deputado estadual Inácio Falcão.

Confira aqui o número de doses de vacinas por município.

Os prefeitos, segundo determinou o Ministério da Saúde, são responsáveis pelo armazenamento das vacinas e aplicação das doses. A campanha de vacinação, em todo a Paraíba, começou nesta terça-feira (19), coordenadas pelos município. Coube ao governo do estado a logística da distribuição.

Nessa primeira etapa deve ser vacinados profissionais de saúde que estão na linha de frente dentro dos hospitais, indígenas em aldeias e idosos que moram em abrigos ou asilos. O número de doses enviado pelo Ministério da Saúde foi reduzido, o que também mexeu com o grupo prioritário dessa primeira fase.

“Essa fila, e essas prioridades deveriam ser respeitadas, principalmente, pelos gestores. Profissional de Saúde da linha de frente no enfrentamento à COVID-19 arrisca a vida diariamente, expõe os familiares diariamente, quantos foram ceifados? Exigimos respeito e TRANSPARÊNCIA!”, cobrou a médica nas redes sociais.

Campina Grande recebeu 3.719 doses da vacina CoronaVac, sendo 3.559 doses para imunizar 34% dos trabalhadores em saúde e 160 idosos residentes em abrigos.

Tatiana Medeiros disse ter considerado revoltante ver várias postagens de pessoas, ligadas à atual gestão de Campina Grande, sendo vacinadas. “Onde está o critério de prioridade da PMCG? Se o quantitativo recebido foi mínimo, só os profissionais de Saúde, que trabalham diretamente com doentes com Covid poderiam ser vacinados”.

Ela complementou: “Exigimos transparência com a utilização, das poucas doses de vacina que estão sendo enviadas para os estados, que são responsáveis pela distribuição para os municípios, através das gerências regionais. Prioridade máxima? Profissionais da saúde que estão na linha de frente nesse atendimento”.

O Blog não conseguiu contato com a Prefeitura de Campina Grande, até o momento, mas deixa o espaço aberto para quaisquer considerações por parte da gestão.

Leave a Reply

Your email address will not be published.